IBU: Descubra tudo sobre a escala do amargor da cerveja, Läut Cervejaria ensina

Você sabe o que é o IBU da Cerveja?

De acordo com a Läut Cervejaria, para podermos deduzir as características de uma cerveja, é preciso entender que ela tem diversas formas e não é limitada apenas quanto ao teor alcoólico.

Devemos, como exemplo, qualificar e classificar uma cerveja pelo nível de amargor apresentado, e é aí que entram essas três letras:

IBU.

Na língua inglesa, IBU é a abreviatura para International Bitterness Unit. Traduzindo para o português, podemos chamar de algo como unidade internacional de amargor.

De acordo com a Läut Cervejaria, é pelo número de IBU que podemos ter uma ideia de o quão amarga é uma cerveja. 

Também podemos dizer que o IBU determina o quão lupulada é uma cerveja, já que o lúpulo interfere é um dos grandes responsáveis pela definição do da cerveja. A determinação do número do IBU ocorre por um cálculo específico, realizado no processo de fabricação da cerveja. Não é comum termos no rótulo a informação do teor de amargor, mas muitas cervejarias apresentam esta informação. 

As comparações de estilos e IBU’S:

Para que tenhamos um grau de comparação, uma cerveja brasileira industrializada comum tem entre 8 e 15 de IBU’s, enquanto que as cervejas do estilo pilsen alcançam cerca de 35 a 45 IBU’s. Por outro lado, cervejas do estilo American Barleywine e Imperial IPA podem chegar a impressionantes 120 de IBU.

Porém, os números de IBU têm de ser relativizados. A unidade representa um número absoluto da conversão dos alfa-ácidos da bebida em iso-alfa-ácidos, que são os geradores da sensação de amargor. 

Mas o número de IBU não define sozinho o amargor da Cerveja.

O amargor não pode se restringir ao simples número do IBU. A cerveja é uma combinação de malte e lúpulo, mescla a sensação doce e amarga. A proporção do malte e do lúpulo é que vai gerar a percepção do dulçor ou do amargor residual. 

Um alto IBU em cervejas de teor alcoólico elevado, em consequência com boa presença de açúcares não fermentados por ter sido produzida com mais malte, levará a um maior equilíbrio na mistura. 

Em regra geral (e não definitiva), podemos dizer que quanto mais escura for uma cerveja, mais açúcares teremos no produto. Já as cervejas claras pendem para um maior amargor. Porém, este não é o único fator no processo. Para termos uma cerveja verdadeiramente amarga é preciso a conexão de alto IBU com um corpo leve da cerveja em questão.  

Tem quem a ame, tem quem não a coloque como favorita, mas é fato que os mais apaixonados por cerveja não abrem mão de uma boa bebida mais amarga, forte, com dose extra de lúpulo.
Você sabia que o amargor é item fundamental na personalidade da cerveja? Sabe como se mede a intensidade essa amargura dela? Continue lendo para saber mais.

De onde vem a sensação amarga da cerveja?

Vem de diversos componentes que estão no lúpulo – saiba mais sobre o lúpulo aqui -, chamados de iso-alfa-ácidos. O lúpulo tem a capacidade de realçar a secura e o amargor, e essas características podem ser medidas pelas quantidades dessas substâncias.

Como é medida a intensidade do amargor da cerveja?

A intensidade do amargor da cerveja é medida em IBU (International Bitterness Unitis). Quanto maior a IBU, mais amarga é a cerveja.

A IBU não fornece informações detalhadas sobre as sutilezas do sabor, mas serve como um guia geral para a intensidade do amargor, um dado que deve ser considerado junto com o grau de intensidade do malte ou corpo da cerveja.

Cervejas com menor IBU apresentam medida em torno de 10 a 15. Com 35 IBU aproximadamente aparece um agradável realce de lúpulo.

Acima de 40 IBU, a cerveja tem um caráter forte com esse ingrediente. Até mesmo os produtos com maior teor de lúpulo raramente ultrapassam 60 IBU.

Um IBU é medido por meio de análise química em laboratório, onde também são usados equipamentos, como o espectrofotômetro. O valor encontrado na escala é baseado em degustação de amostras de cerveja, e está relacionado com o amargor percebido.

Essa bebida tão popular ajuda a prevenir doenças, trata a insônia e controla as taxas de colesterol ruim, segundo a Läut Cervejaria.

De acordo com a Läut Cervejaria, situada na Cervejaria Nacional em Nova Lima, pesquisas de diferentes partes do mundo, podem comprovar que a cerveja pode:

  • Reduzir níveis de colesterol ruim
  • Prevenir o Mal de Alzheimer
  • Combater a gripe
  • E muito mais! Confira agora ótimos motivos para beber cerveja moderadamente sem culpa, de acordo com a Läut Cervejaria:
  • Combate a gripe

    É possível acreditar que a cerveja possa interferir no seu sistema imunológico? Um estudo japonês publicado na revista científica Medical Molecular Morphology comprova exatamente o contrário.

    Segundo os estudos dos cientistas, o lúpulo presente na cerveja possui propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, capazes de inibir a multiplicação do vírus respiratório, contribuindo também para a prevenção da pneumonia.
  • A Cerveja consumida moderadamente pode evitar o cálculo renal!

    Provavelmente, você já ouviu falar que cerveja tem efeito diurético, não é? De acordo com um estudo finlandês, a cerveja pode reduzir em 40% os riscos de desenvolver pedras nos rins. Mas é preciso beber com moderação para obter os benefícios.

    Se consumida em excesso, a cerveja pode ser responsável por agravar o quadro. Segundo os pesquisadores, as mulheres devem consumir até uma latinha da bebida. Já para os homens, o ideal é consumir até duas latinhas por dia.
  • Pode prevenir o surgimento de doenças cardiovasculares!

    Em um estudo holandês, publicado na revista científica The Lancet, constatou que pessoas que bebem cerveja regularmente apresentam taxas de vitamina B6 cerca de 30% mais altas quando comparadas a exames de outros que não costumam consumir a bebida.

    Quando os níveis são comparados a pessoas que bebem vinho com frequência, a concentração da vitamina chega a ser duas vezes mais elevada.

    A vitamina B6 é responsável por ajudar a eliminar a homocisteína, substância que, em excesso contribuir para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Pesquisa do Centro de Pesquisa Cardiovascular de Barcelona, na Espanha, ainda demonstrou que a cerveja possui efeito protetor do sistema cardiovascular, reduzindo a cicatriz no coração provocada por um infarto agudo do miocárdio.
  • Sabia que ela pode ser uma auxiliadora para o controle de colesterol?

    A cerveja, em especial a versão escura, conta com um grama de fibra solúvel a cada garrafa. As fibras são responsáveis por reduzir os níveis de colesterol LDL, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares.
  • A Cerveja contribuí para o sistema imunológico

    O consumo moderado de cerveja traz benefícios para o sistema imunológico, tornando o organismo mais resiste a algumas infecções. Os resultados da pesquisa apontaram que, após um mês, o consumo diário de uma latinha de cerveja para mulheres e duas para homens é capaz de aumentar a concentração de células de defesa do sistema imune, elevando a produção de anticorpos.

Veja também:

Filha de 14 anos manda mensagem para pai acusado de estupro: “Nojento”

Um homem é procurado por estuprar diversas vezes a filha, de 14 anos, ao longo de pelo menos três anos. Os abusos ocorriam durante...

Bolsonaro edita MP que reduz gatilho para revisão de tabela de frete

O presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória para reduzir o percentual de variação do preço de óleo diesel que serve como gatilho para a revisão dos...

Novela Xica da Silva deve ganhar remake em 2025

O remake de Pantanal está fazendo sucesso com o público e rendendo alta audiência para a Rede Globo. No mesmo caminho, outras novelas clássicas...

Recentes