Contar o tempo ou calorias gastas?

Foram elencadas pessoas que se alimentavam em média por 15 h por dia. Eles foram divididos em 2 grupos: um grupo que passou a se alimentar somente durante 8 h por dia e o outro grupo com tempo irrestrito para se alimentar – ambos os grupos não levaram em conta o tipo de alimentação, somente o tempo que dispunham para se alimentar.

Durante e após 2 semanas foram monitorizados: a composição corporal (DEXA), lipidograma, glicemia, pressão arterial e teste de tolerância oral à glicose em duas horas, além da prática de exercícios físicos.

O resultado foi que o grupo com tempo restrito de alimentação (janela de intervenção final: 9,9 [2,0] horas) reduziu o número de refeições, o peso, a massa gorda, a massa magra e a gordura visceral (todos P ≤ 0,05) em relação ao grupo com tempo irrestrito de alimentação (janela de intervenção final: 15,1 [1,1] horas). Atividade física e medidas metabólicas permaneceram inalteradas, comenta a Drª Beatriz David.

Obesity Journal: Chow, Lisa S et al. Time‐Restricted Eating Effects on Body Composition and Metabolic Measures in Humans who are Overweight: A Feasibility Study. 09 April 2020 https://doi.org/10.1002/oby.22756

Veja também:

Geração dos ventos torna-se aliada contra a crise de energia do País

A previsão é que a eletricidade gerada pela força dos ventos alcance cerca de 20% de abastecimento da demanda no segundo semestre de 2021 São...

Fonte eólica ganha confiança do mercado e torna-se aliada fundamental para o fornecimento energético do Brasil

A previsão é que a eletricidade gerada pela força dos ventos alcance cerca de 20% de abastecimento da demanda no segundo semestre de 2021 São...

Recentes